Linha Verde 800 210 230
TRIAGEM DOS MATERIAIS RECICLÁVEIS


 
A Estação de Triagem é o local onde se realizam as operações de separação dos resíduos provenientes dos ecopontos, ecocentros e da recolha porta a porta, nomeadamente, papel/cartão, embalagens de plástico e metal, para depois de separados e enfardados serem encaminhados para reciclagem. O vidro é o único material que segue diretamente para reciclagem.

As estações de triagem são infraestruturas que podem incluir tecnologias e equipamentos mais simples ou mais complexos, com mecanização intensiva.

A RESINORTE tem ao dispor 4 estações de triagem, uma em cada Unidade de Produção. Na Unidade de Produção de Riba de Ave existe uma estação de triagem automatizada, nas restantes Unidades de Produção a triagem é efetuada manualmente.

 

O PROCESSO

 
RECEÇÃO DE RESÍDUOS
As viaturas de recolha chegam carregadas à zona de receção e são pesadas numa báscula (balança). Neste local, há um controlo magnético, acompanhado por um funcionário, que indica a matrícula da viatura de recolha, o tipo de material transportado e a sua proveniência. À saída a viatura é novamente pesada.



DESCARGA DE RESÍDUOS
Os resíduos são descarregados em silos onde se encontra o material acumulado por fileira antes de ser triado. Seguidamente com a ajuda de um empilhador o material é descarregado num tapete que o transporta para a mesa de triagem.




TRIAGEM
Ao longo de tapetes rolantes, funcionários especializados vão separando manualmente os materiais, por diferentes tipos, selecionando os que reúnem as condições necessárias à reciclagem. Os materiais que não servem para reciclar continuam no tapete e vão cair num contentor de refugo.



SEPARAÇÃO MAGNÉTICA
Alguns materiais, como os metais ferrosos (ex: ferro, aço), são separados pela ação mecânica de um eletroíman.






ENFARDAMENTO
Depois de separados os materiais são prensados, para ocuparem menos espaço, enfardados e enviados para as indústrias recicladoras, através da Sociedade Ponto Verde.





A TRIAGEM AUTOMÁTICA É UM SISTEMA AUTOMATIZADO MUNIDO DE MECANISMOS QUE PERMITEM A SEPARAÇÃO DE PLÁSTICOS E METAIS.



Após a descarga no silo de embalagens, os resíduos são encaminhados para o início da linha com a ajuda de um empilhador, onde passam inicialmente por um abre sacos.
Em seguida, os resíduos são encaminhados através de um tapete para um separador balístico que separa os resíduos mais pesados dos mais leves.




Os resíduos mais leves (filme e plásticos mistos) são encaminhados por um tapete, passando por um sistema de aspiração que retém o filme e o encaminha para a respetiva boxe (locam onde os materiais são armazenados depois de separados). Os plásticos mistos continuam no tapete e caem na boxe respetiva, onde são enfardados e enviados para reciclagem.
 


Os resíduos mais pesados são encaminhados para um separador magnético (eletroíman), que tal como na triagem manual atrai os metais ferrosos. Os materiais pesados não atraídos, passam por dois separadores óticos que separam os materiais de acordo com a sua densidade. Neste caso, o primeiro separador retém o tetra pack e o segundo o PET e PEAD.


Os restantes materiais são encaminhados para a mesa de triagem onde é efetuada a triagem manual.
Se pretender efetuar uma visita de estudo à estação de triagem, inscreva-se aqui!!

 
Tratamento
Triagem dos Materiais Recicláveis
Tratamento Mecânico e Biológico